Estações Compactas

Tratamento de Esgoto / Efluentes - ETEC

Tratamento de EsgotosTratamento de Esgotos
Estações Compactas visando simplicidade de operação, economia de espaço e mão de obra são opção moderna de tratamento de efluentes domésticos e industriais. O efluente doméstico pode incluir, como num restaurante, a água de cozinha.

O projeto de uma estação compacta é determinado por fatores como características do efluente bruto, que devem ser conhecidos:

Características do Efluente Bruto:

DBO, vazão e/ou número de pessoas envolvidas;
teor de sólidos e características que podem determinar necessidade de pré-tratamento;
o efluente não deve conter biocidas, desinfetantes e materiais tóxicos como água sanitária, derivados de BTXE (benzeno, tolueno, xileno e etileno);
o teor de óleos e graxas deve ser removido em caixa de gordura ou separadores água-óleo.


O Efluente tratado obedecerá a várias legislações Estaduais e Federais de acordo com a disposição a ser dada (corpos de água como rios, lagos e lagoas, represas, rede municipal de esgoto, reuso, etc.).

Legislações a serem atendidas: em São Paulo, Artigo 18, Artigo 19, Conama 20, Decreto 357; no Rio de Janeiro a FEEMA; em Minas Gerais a FEAM; em Santa Catarina a FATMA; em Manaus a IA, e outros. O Artigo 18 determina a remoção de DBO de 80% da água de entrada ou 60 mg/litro, não exige desinfecção. Na Legislação do Conama 20, mais restritivo, há que se fazer um estudo de autodepuração e da classe do corpo receptor que define a DBO máxima a descartar. Os rendimentos em geral devem ser próximos ou superiores a 99% de redução de DBO. (Se entrar com 400 g/;litro deverá sai com 5 mg/litro).

Deve ser conhecida a área disponível, tipo de relevo, se a Estação deve ser enterrada ou aparente, qual a energia elétrica disponível (110, 220, 380 ou 440 Volts), se já existe Estação Elevatória e como o efluente "chega" ao local de tratamento.

Deverá também se determinar o material da ETEC (Aço Inox, Fibra de Vidro ou Aço Carbono), previsão de expansão, etc..

Numa seqüência padrão, o Efluente sai da origem, por exemplo, de uma fábrica, vai para a Estação Elevatória onde, se necessário, haverá uma grade, peneira ou decantador primário. Daí o Efluente segue para o reator aneróbio, na seqüência para o reator aeróbio e um decantador de lodo.

Fábrica » Estação Elevatória » Reator Anaeróbio » Reator Aeróbio » Decantador de Lodo

Daqui a água poderá seguir para um corpo receptor (lago, lagoa, rio, etc.) ou continuar o tratamento, passando por um filtro tipo bag, areia, leito misto areia/antracito, seguido de uma desinfecção com Radiação UV. Então a água poderá ser encaminhada para reuso como água de processo, irrigação, etc.. A SNatural projeta e instala qualquer tamanho de Estação de Tratamento de Água, compacta ou tradicional, em concreto armado.


Modelos e Características das Unidades Compactas

Modelo
Naturaltec
Vazão
(litros/dia)
População
Servida
(nr. de pessoas)
Área
Ocupada
(M2)
ETEC 3
3 000
40
8
ETEC 5
5 000
70
8
ETEC 7
7 000
100
10
ETEC 15
15 000
200
20
ETEC 20
20 000
300
30
ETEC 30
30 000
400
30
ETEC 40
40 000
600
40
ETEC 50
50 000
700
50
ETEC 60
60 000
850
60
ETEC 80
80 000
1 200
70
ETEC 100
100 000
1 400
80

Contribuição diária – 70 l / pessoa – população de fábrica em geral


ETEC para 1700 pessoas

ETEC para 1700 pessoas

Vantagens do Sistema SNatural: a Estação de Tratamento de Efluentes (ETEC) - SNatural baseia-se no mais moderno sistema de leito fluidizado, onde segmentos autônomos integrados funcionam independentemente e:

• Assegura a continuidade de processo em caso de manutenção preventiva periódica;
• Facilidade de adaptação de "layout" ao espaço disponível;
• CLP de automação de sistema;
• Facilidade de Operação e Manutenção;
• Treinamento de pessoal envolvido no sistema; • Demanda homem/hora/dia: 2 - 3;


• Planilhas de acompanhamento diárias;
• Possibilidade de Monitoramento à distância;
• Sistema vertical com maximização de eficiência na aeração e na digestão da carga orgânica;
• Melhor aproveitamento e menor impacto no desenvolvimento dos microorganismos em função da potencial variação de carga orgânica;
• Maior capacidade de digestão de carga de Efluente bruto/m2 (maior camada de lodo).

Custo de energia (*) Ex.: No caso de uma ETEC 40 instalada, temos os seguintes motores: 01 - 4 HP; 01 - 2 HP; e 03 - 1 HP. Para um funcionamento de 17 horas diárias teremos 100 KW/dia/600 pessoas ou 166 Watts/dia/pessoa.

Estações Compactas Padrão e área Ocupada(Projeto): Estudo de caso real para 120 m3/dia (1700 pessoas) de esgoto doméstico em área de 80 m2 à esquerda e para 50.000 litros em Inox (700 pessoas) à direita.


Estação de Tratamento - ETEETE compacta

Para dimensionamento informar:

• DBO: 400 mg/litro
• DQO: 700 mg/litro
• Contribuição percapita/dia: 70 litros
• Operação do Sistmea: bombeamento 24 horas
• Efluente livre de Sólidos e Equalizado
• Prazo de Entrega: 60 - 90 idas

Desconsidera-se no sistema a desidratação do lodo que pode ser retirado por caminhão, filtro, prensa desaguadora, leito de secagem, centrífuga, etc..


Outros Produtos Oferecidos pela SNatural:













Desenhos e Fotos Meramente Ilustrativos
A SNatural reserva-se o direito de alterar as características de seus produtos sem aviso prévio
SNatural 5562-1669 | Tratamento de Água, Efluentes, Aquicultura e Paisagismo | Design JG
Voltar ao topo