Tratamento de Água de Piscinas

Piscinas Naturais ou Biológicas

Tratamento de Água sem Cloro - Uma piscina convencional utiliza produtos químicos como o cloro para manter a qualidade da água, a piscina natural usa plantas ornamentais. Com desenvolvimento na década de 70, na Áustria, o sistema tem se espalhado por todo o mundo demonstrando outra forma de se relacionar com a natureza. Uma piscina natural se divide em (1) uma área para banho e (2) outra onde se plantam as mudas de vegetais. O plantio de mudas se faz sobre um substrato permeável que sustenta e ajuda na purificação da água. A área vegetada pode ficar ao redor da área de banho, ao lado ou onde for paisagisticamente adequado.

As plantas utilizadas têm a capacidade de filtrar biofisicamente a água e incorporar oxigênio reduzindo odores. A filtração se faz pelo seqüestro dos sólidos em suspensão e pela absorção e nutrientes tipo nitrogênio e fósforo, os principais responsáveis pela disseminação de algas verdes. As raízes das plantas e a presença de microorganismos benéficos no substrato, proporciona a filtração biológica e ingestão destes nutrientes. Para manter a circulação da água, se usa um pequeno filtro para folhas e outros detritos além de uma pequena bomba para circular a água da área de laser para o filtro rizosférico e vice-versa. Na zona das raízes as algas verdes existentes ficam presas e aglomeradas proporcionando adicional limpeza natural da piscina.

Piscinas comuns e pequenos lagos podem ser transformadas em piscinas naturais.

Piscinas naturais têm baixo custo de manutenção e não apresentam riscos à saúde causados pelo uso do cloro e outros produtos químicos (coagulantes, algicidas, floculantes, corretores de pH, etc..). O objetivo de uma piscina natural é criar um ambiente balanceado auto sustentado e auto limpante.

Sistema de Funcionamento

Piscinas Natural Biológicas

Para localizar a piscina natural, evite árvores e raízes por perto e leve em conta que as plantas filtradoras precisam sol de pelo menos 5 horas por dia.

Exemplos de Piscinas Naturais

Piscinas Naturais
Paisagismo

Tratamento de água de piscinas naturais
piscinas naturais

piscina natural com uv
tratamento de água de piscina

piscina natural com ultraviolta
Tratamento de Água com Ultravioleta

raiz aquática

A piscina natural proporciona uma água de excelente qualidade para o banho sem adição de produtos químicos, decantação e aspiração. A manutenção é feita através de uma poda periódica das plantas para que continuem em fase de crescimento, quando naturalmente elas procuram nutrientes para seu crescimento. As plantas também harmonizam e embelezam o ambiente.

Plantas Usadas

Plantio de Plantas Aquáticas flutuantes ou de áreas encharcadas:

Tratamento com plantas
Plantas Aquáticas flutuantes

Schoenoplectus lacustri

Schoenoplectus lacustri

Papiro

Papiro (Cyperus papyrus)

Íris amarelo

Íris amarelo
(Íris pseudacorus)


Lírio do brejo

Lírio do brejo
(Hedichium coronarium)

Junco

Junco (Juncus sellovianus)

Taboa

Taboa ( Typha spp)


Alface D'agua

Alface Dagua
Pistia stratiotes

Calamo aromático Acorus Calamus

Calamo aromático
Acorus calamus

Aguapé

Aguapé Eichornia crassipes


Copo-de-leite

Copo-de-leite
(Zantedeschia aethiopica)

Biri

Biri (Canna edulis)

Ninféia

Ninféia
(Nymphaea spp.)


O filtro rizosférico (raízes) também poderá ser completado com outras plantas ornamentais, aromáticas e/ou frutíferas.

Radiação UV

Controle de Bactérias e Outros Microorganismos por Radiação Ultravioleta (UV)

Em piscinas naturais não é necessário o uso de sistemas de desinfecção de água como o uso de cloro, bromo e outros oxidantes, mas se o caso da piscina envolver muita gente ou contato constante com animais, para aumentar a sensação de desinfecção pode-se adicionar um sistema de radiação de Ultravioleta e instalar um sistema de aeração.

Os Equipamentos UV são utilizados para o controle de Algas verdes. Os Esterilizadores Ultra Violeta ou “Filtros UV” atuam através da radiação UV-C, matando células vivas pela destruição do DNA. Promove o controle não só das algas em suspensão, como também de várias doenças causadas por organismos presentes na água. Trata-se de um recipiente cilíndrico, em forma de tubo, cujo núcleo possui uma lâmpada UV com uma potência (watts) dimensionada ao tamanho do lago. Por dentro deste tubo circula a água que é enviada por uma bomba, devendo passar por uma pré-filtragem a fim de não enviar detritos sólidos que comprometam a eficiência da radiação ultravioleta (UVC). Dentro deste tubo de material plástico ou inox, encontramos um outro tubo de quartzo que protege a lâmpada UV do contato direto com a água. Este tubo de quartzo possui algumas finalidades específicas no sistema UV: fazer com que a lâmpada trabalhe em uma temperatura de cerca de 40ºC ideal; evita que a lâmpada, trabalhando a seco, por falha de bomba de água, esquente demasiadamente e acabe estourando assim que o fluxo retorne por choque de temperatura.

Cada microorganismo apresenta diferentes níveis de resistência à radiação ultravioleta. A quantidade de radiação é dada pela potencia dada na exposição e o tempo a que o organismo fica exposto. O nível de Radiação (µW/seg/cm2 )necessário para controle de algas e bactérias com uso do Filtro UV ou Reator de Ultravioleta é, em geral:

Bactérias Dose
(µW/seg/cm2)
Aeromonas 3,620
Clostridium tetani 20,000
Pseudomas aerginosa 10,500
Salmonella enteritidis 7,600
Streptococcus hemolticus 10,000
Algae  
Chlorella vulgaris 22,000
Virus  
Hepatitis Virus 26,100
Influenza Virus 26,100
Rotavirus 24,000

Observações prática indicam que um equipamento que dê 35 litros/hora/watt (lh/w) para aquários e 100lh/w* para lagos, estará cumprindo a eficiência mínima necessária. Multiplicando os valores acima pelos watts da lâmpada encontram-se as vazões necessárias. Por exemplo, o fluxo ideal de água para uma lâmpada de 36 watts, deve estar entre 1260 a 3600 litros/hora o que não quer dizer que o filtro não irá funcionar se o fluxo for um pouco superior, mas esta é a medida ideal, a que chamamos de “fluxo ótimo ou ideal”. Acredita-se que a radiação UV destrói as bactérias benéficas que fazem a filtragem biológica. Isto não ocorre porque tais bactérias formam colônias e não ficam soltas na água, ao contrário, permanecem fixas em locais que oferecem superfície de contato, tais como o cascalho.


Como advertência, não abra o filtro UV para ver se a lâmpada está funcionando corretamente, a exposição dos olhos e pele a esse tipo de radiação pode causar queimaduras.

SNatural 1989-2011 | Tratamento de Água, Efluentes, Aquicultura e Paisagismo | Design JG
Voltar ao topo