Aeração – Aeradores – Criação e Peixes

A matéria orgânica, folhas, fezes dos peixes, ração, animais mortos, etc., se concentram no fundo dos tanques e lagos para se decompor. As condições de decomposição são normalmente anaeróbias e ácidas, produzem amônia e outros gases tóxicos que se acumulam no fundo do tanque (lodo) tornando-o inabitável para organismos aeróbios como o peixe e camarão.

Criação e Peixes

Um dos principais problemas em aqüicultura, piscicultura e criação de camarões deriva de uma migração deste lodo para as camadas mais superficiais da água, podendo matar os peixes. A amônia entra no sangue (hemoglobina) envenenando os animais. No caso do camarão é mais grave pois este já habita o fundo do tanque. Tempestades fortes que produzam grandes entradas de água ou mesmo só o vento, são capazes de revolver o fundo de tanques, lago ou represas trazendo à superfície o lodo, com forte impacto no bem estar dos peixes que são envenenados por esta água podre.


Lagos com equilibrada presença de algas (cianofíceas unicelulares e outras), detêm oxigênio durante o dia, mas durante a noite, estas mesmas plantas consomem todo o oxigênio produzido podendo deixar os animais com carência perigosa. Por este motivo os peixes costumam aparecer na superfície da água logo que o dia nasce quando as condições de oxigênio são as piores. Um lago natural apresenta vários habitats ao longo de seu perfil onde a água se caracteriza por temperatura, nível de oxidação, pH e penetração e luz que propicia ou não o desenvolvimento dos habitantes aquáticos.

Diferentes Habitats de um lago natural

oxigenação natural de lagos

A oxigenação natural de lagos pelas microalgas cianofíceas e vento ocorre apenas na superfície entre 1 e 2 metros de profundidade caindo a praticamente zero após os 3 metros de profundidade. Condições anóxicas (sem oxigênio) impedem o metabolismo dos peixes matando-os. A falta de oxigênio também reduz a resistência a doenças e impede que o animal se alimente. Peixes comem 1-2% ao dia de seu peso produzindo fezes que geram amônia (NH3), gás sulfídrico (H2S), ácido carbônico (CO2) e outros produtos tóxicos na água. A presença de oxigênio evita estes problemas e permite aumento de lotação (biomassa).

consumo de Oxigênio (O2) pelos peixesoxigenação de lagos com peixes

O consumo de Oxigênio (O2) pelos peixes varia em função da espécie, da idade, da temperatura da água e da atividade dos peixes: a aeração na criação de peixes aumenta a lotação média de peixes/hectare ou biomassa (kg/ha). Sampaio et alii (1997) para o Estado de São Paulo, sob manejos diversos, encontraram os seguintes resultados com aeração:

Condição do Tanque/Lago Lotação
(tons/ha)
Tempo
(meses)
(d) Adubação da Água 1 – 2 4 - 5
(c) Adubação + Suplementação (farelo) 2 – 3 6 - 7
(b) Adubação + Ração completa 4 - 6 8 – 9
(a) Adubação + ração+ Aeração 8 – 10 10

A aeração de tanques permite uma maior produção de peixe e camarão, melhora a aparência dos lagos para prática de esportes e, a aeração, aumenta a transparência da água, acaba com os odores e reduz a probabilidade de ocorrência de pragas e doenças relacionadas à água como a Dengue e Leptospirose. O tipo de aeração é determinado pelo tamanho do tanque/lago, pela quantidade de peixes (biomassa) e pela profundidade do tanque.

A SNatural, especialista em aeração, trabalha com equipamentos de baixa manutenção e alta eficiência com aeração por microlhas e difusores e ar difuso.

Aeradores & Aeração

Aeradores e Aeração

A aeração para o tratamento de água e produção de peixe e camarão é feita e diversas maneiras dependendo do caso:

1) Aeração para tanques e lagos de pequeno porte para produção de peixe e desestratificação de lagos

2) Aeração flutuante para explorações comerciais de peixe e camarão

3) Aeração por Injeção de ar para desestratificação, produção e recuperação e lagos.


A indústria de tratamento de água desenvolveu vários tipos de aeradores mecânicos durante todo o século 20: os primeiros foram os de pás, depois os de injeção, tipo Venturi, e mais recentemente os difusores de membrana com sistema anti entupimento.

O sistema de aeração SNatural utiliza aeradores de microbolhas tubulares ou planos com o dobro de eficiência em relação aos sistemas mecânicos de superfície tradicionais . Levantamento na indústria de saneamento onde têm aplicação generalizada. (Quadro abaixo).

Aerador Injetor Tipo Venturi

Aerador Injetor Tipo Venturi

Aerador de Superfície - Injetor

Aerador de Superfície
Injetor

Aerador de Superfície

Aerador de Superfície


Aerador de Pás

Aerador de Pás

Aerador com Difusores

Aerador com Difusores

Aerador Difusores Prato

Aerador Difusores Prato


Aeração por Ar Difuso

O sistema de ar difuso por membrana é uma evolução do sistema mecânico, se destaca pelo baixo consumo de energia (redução de 40%), é o sistema de escolha para tratamento de efluentes industriais e esgoto doméstico.

Difusor Tipo Prato

Difusor Tipo Prato

Difusor Tipo Tubular

Difusor Tipo Tubular

Bolha: difusor x Aerador de Pá

Bolha: difusor x Aerador de Pá


O Ar difuso é mais eficiente em termos de aeração devido ao tamanho de bolha que produz e também devido à profundidade em que é injetado. Um tanque sem oxigenação durante a noite tem a tendência de reduzir muito a concentração de Oxigênio o que pode ser estressante para o peixe e mesmo letal.

Estudos na América Central e Brasil, com aeração em Tilápia, indicam níveis de biomassa em função da aeração intensiva:

Lotação Potencia
CV/ha
Aerador
30 tons/ha 15 aeradores de pá
150 tons/ha 50 aeradores de pá
23 tons/ha 1 ar difuso

Aeração com ar Difuso e com Aeradores de Pá - Período de 10 minutos

Aeração com ar Difuso e com Aeradores de Pá Aeração com ar Difuso
Aerador T* E**
  Mecânico de Superfície    
Baixa/Média/Alta Velocidade 14-18 0,4-0,8
Microbolha-Difusores    
Colocação no Fundo/Lateral 15-32 0,2-0,6
Bolha Grossa 8-16  0,5-0,7 

(1) - Aeração de Pequenos Tanques d’Água – Difusores

Para Lagos e Tanques, equipamentos flutuantes reúnem eficiência, robustez, economia de energia e facilidade de manuseio. Na aeração por ar difuso, os equipamentos se adaptam às necessidades: Para tanques rasos como os usados para piscicultura e carcinicultura (1- 2 m), se utilizam:

Difusores colocados no fundo do tanque para aeração e desestratificação Aeração de Fundo
Aeração em profundidade
Aeração distribuída em tanques
Aeração Auto afundante

(2) - Sistemas de Aeração Flutuante – Aeração que vem do fundo

Aeração por ar difuso

O aerador Aeromax FD de fluxo direcionado da SNatural tem 90 watts a 5 CV e mantêm em movimento toda a água de um tanque de 2 hectares/CV.


Para a oxigenação de 10 tons de biomassa ou 1 hectare (10 000 m2) de lâmina de água se recomenda um aerador Aeromax FD de 1 CV.

Este sistema de aeração para tanques de 2 m de profundidade média é um equipamento de alta eficiência de oxigenação (ar difuso) pois arrasta água “varreno” o fundo do viveiro evitando o acumulo do lodo.

O soprador esta conectado a uma grade de difusores/aeração formado de 8 a 10 difusores planos/CV produzindo de 800 a 1000 litros de ar/minuto/CV na forma de bolhas de 1 a 2 mm que são rebatidas por uma parede dirigindo o fluxo para a frente, permitindo um tempo maior de contato com a água aumentando a dissolução do ar na água. É um equipamento indicado para Pesque Pague, aeração de tanques rede em áreas de baixa circulação de água, criação de camarão, lagos ornamentais e outros. O sistema de ar difuso por membrana é uma evolução do sistema mecânico, se destaca pelo baixo consumo de energia (redução de 40%), é o sistema de escolha para tratamento de efluentes industriais e esgoto doméstico

Aeradores de Fluxo Dirigido Flutuantes

Aeradores de Fluxo Dirigido Fluxo Dirigido Flutuante

(1) funcionamento amigável com os peixes;
(2) não levanta aerosóis e é silencioso;
(3) pouca chance de prender linhas;
(4) se integra ao ambiente (submerso);
(5) sem engrenagens e sem corrosão;
(6) materiais de construção: aço inox, PEAD e PVC;
(7) aeração com uso de difusores de membrana.

(3) - Aeração por Venturis

Aeração por Venturis

Para aeração e desestratificação de tanques ou lagos profundos se utilizam injetores com bombas submersíveis ou compressores de alta pressão.

Utilizando uma bomba de água comum conectada a um bico injetor (Venturi) de ar, pode-se incorporar até 11 m3 de ar/hora por bico injetor, suficiente para 100 tons de biomassa (peixe).

O sistema de aeração não deixa acumular o lodo no fundo mantendo-o sob agitação oxidando-o rapidamente pelo oxigênio dissolvido. Todo o perfil de água passa a ser oxigenado aumentando o volume útil de criação para os peixes. Também evita as condições ácidas de fundo e morte de peixes associada com inversões térmicas do lago ou inversões de camadas da água.

Se utilizada uma bomba de água colocada na superfície, a aeração se faz com o Venturi conectado à mangueira de circulação de água vinda da bomba. O sistema de aeração com venturi pode ser usado com distribuição para vários tanques de criação.

Utilizando bombas de água comuns de baixo custo e manutenção o sistema pode ser implantado apenas com a aquisição de mangueiras e bico injetor de alto rendimento.

Aeração por Venturis

A aeração dobra a capacidade de criação de um tanque de 4 tons/ha para 8 tons/ha, entretanto, se houver acumulação de lodo no fundo e este vier à tona por qualquer motivo poderá haver mortandade total do lote. Nas represas onde se pratica a criação em tanque rede tem-se observado em determinadas épocas do ano mortandades de peixe de uma hora para a outra sem grandes explicações. Acreditamos que a origem do problema se encontra na inversão das camadas do fundo conforme comentado. A técnica acima de remoção ou movimentação de lodo minimiza estas possíveis perdas.


Bomba de águaAeração de fundoBomba de superfícieMangueira

Bomba de Superfície | Mangueira

SNatural 1989-2011 | Tratamento de Água, Efluentes, Aquicultura e Paisagismo | Design JG
Voltar ao topo