Síntese Natural | Telefones: +55 (011) 5562.1669 / 5072.5452 / 5565.3254 |snatural@snatural.com.br

Água de Chuva – Aplicações Diversas

Água de Chuva – Aplicações Diversas 2017-06-09T12:25:16+00:00

Água de Chuva – Aplicações Diversas

A água pluvial ou simplesmente chuva com tratamentos simples é uma alternativa concreta para uso em descargas de vasos sanitários, irrigação de jardins e lavagens de carros, pisos e roupa, podendo ser adequada e levada a nível de potabilidade humana e animal.

Água de Chuva – Instalação da Cisterna: Como a cisterna é o principal custo do sistema, o cliente deve estar ciente da capacidade de armazenamento e avaliar se é o que precisa e em termos inclusive de área ocupada.

A SNatural tem sistemas de coleta e armazenamento de água de chuva:A cisterna se apresenta na forma de kit feito em plástico de engenharia reforçada (PEAD) com alta resistência química e mecânica, pré-montado com acoplamento de encaixe, pronto para uso e os módulos são projetados para transporte em container ou caminhão com facilidade de remoção e instalação.

Água de Chuva – Qualidade: Uma água de chuva de telhado, desde que não haja poluição no ar apresenta os mesmos padrões de potabilidade que uma água de torneira residencial pelos padrões da legislação. (Instrução Normativa Nº 62 de 26 de agosto de 2003, a Portaria Nº 518/04 do Ministério da Saúde e a Resolução CONAMA Nº 357/05.)

 

 

Resultados das análises físico-químicas e microbiológicas da água de chuva:

Obs.: A água de chuva, dependendo do local onde é captada, devido a condições de poluição locais (industriais ou áreas urbanas) podem alterar sua qualidade tornando-a imprópria para o consumo humano potável.

Água de Chuva – Utilização Residencial: Numa residência, a alimentação, banho/lavatório representa 45% do consumo de água sendo o resto, 55% usado para descargas em bacia sanitária, lavagem de roupa e carro, irrigação de jardim e piscina que pode facilmente ser atendido pela agua de chuva com um tratamento mínimo de filtração e desinfecção.

Limites para Reuso em Vaso Sanitários – Brasil

Água de Chuva – Captação: O dimensionamento de um sistema de coleta depende do consumo da residência ou estabelecimento, da oferta de chuva no local e dos aspectos econômicos e educacionais. Além de saber quanta água será consumida na residência, precisamos saber o quanto de chuva é esperada durante o ano ou temporada no local e o quanto cai nos telhados. Os dados de chuva podem ser encontrados em Instituições de Meteorologia, municípais ou estaduais ou via internet. Numa região hipotética, descrita abaixo, observam-se, dos dados pluviométricos e os de consumo da casa.

Os dados de precipitação mensal ou anual são apresentados em mm/m2, isto significa que se chover em sua cidade 750 mm/m2, cada metro quadrado recebe 750 litros de água por ano. Na prática nem toda a água é capturada devido à evaporação, infiltração e outros fenômenos. Esta perda se estima em 20%.

Volume de água (litros/ano) = 0,80 x área captação (m2) x precipitação (lts/ano/m2)

Se sua casa tem 250 m2 de telhado ou área de coleta e em sua região chove apenas 750 mm de agua por ano, tudo o que podemos armazenar é 0,80 x 250m2 x 750 litros/ano/m2 = 150 000 litros ou 150m3 que que seria suficiente para uma casa cujo consumo fosse de 400 litros/dia.

Água de Chuva – Demanda de Água: o consumo de uma fábrica, escritorio ou residencia poderá ser estabelecido por medias padrão da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, como as apresentadas abaixo:

Água de Chuva – Dimensionamento:

Caso 1: Considere o número de pessoas que vivem nesta casa de 250 m2 de telhado e que o consumo médio diário/pessoa seja de 200 litros. Se a casa tem 3 pessoas, o consumo diário será de 600 l/dia. Se quiser quer ter uma reserva para todo o ano multiplique esse número por 360 dias ( considera-se 5 dias de folga ou ausente em férias, etc.): 600 x 360 = 216 000 litros/ano (216 m3/ano). Se quiser um tanque para reservar apenas para dois meses após o início da seca, o tanque seria de 36 m3. (60 dias x 600 litros / dia = 36 000 lts).

Assumindo que a temporada de chuva dure cinco meses (150 dias), que o consumo de água durante este periodo seja de 90 m3 (600 litros/dia x 150 dias=90 000 litros) e supondo que nosso tanque tenha 150 m3, a reserva para enfrentar a seca sera a reserva menos o consumo que dá 60 m3 (150 m3 – 90 m3 = 60 m3) Este volume reserva, se a casa continuar a gastar os 600 litros/dia, sera suficinete apenas para 100 dias (60 m3 estocado/consumo de 0,6 m3/dia = 100 dias) ou aproximadamente três meses.

Caso 2 : Se uma família de 3 membros decidiu que a água coletada será utilizada para lavar roupa, banheiro e limpeza geral da casa e considerando-se que a lavanderia consome 18 litros/dia/pessoa, que a descarga banheiro consome 60 litros/pessoa/dia e que a limpeza da casa consome 8 litros por dia.. No total, temos um consumo de 259 litros/dia ou quase 8 m3/mes. Se o período de seca for 3 meses sera necessario um tanque de 24 m3. Se, no entanto, o espaço familiar só permitir construír um tanque de 10 metros cúbicos, a família pode escolher reduzir o consumo e utiliza-la excencialmente para limpar o banheiro.

Água de Chuva – Projetos de Captação

Uma das principais reclamações de usuários do sistema é não conseguir manter uma boa qualidade de água, principalmente após longos períodos de armazenamento. A matéria orgânica, folhas, troncos, etc., deve ser impedida de entrar nas cisternas e para tanto se instalam pré-filtros e sistemas de decantação simples.

Sedimentadores e Prefiltros: Como os telhados estão sujos a primeira água que cai estará contaminada sendo que em geral se despreza 20 litros iniciais de água para cada 100 m2 de área de captação.

A pré-filtração e a desinfecção posterior são elementos chave: os pré-filtros são constituídos por filtros ou grades para reter sólidos grandes, como pedras, areia e folhas. Filtros tipo caixas de gordura separam óleos e outros materiais flutuantes existentes nos telhados e zonas de recolha também podem ser usados.

Para remover areia, um tanque de decantação de 2 a 3 minutos de tempo de tetenção hidráulica permite a separação de sólidos.

Os Pré-filtros podem ser de superficie ou enterrados; a idéia é fazer com que o fluxo de água passe através de um meio filtrante grosseiro selecionado de acordo com a espessura de partículas a serem filtradas.

Após estes cuidados normalmente a água pode entrar na cisterna onde deverá ser clorada.

Normalmente a água de chuva usada para finalidades menos nobres com irrigação, lavagem de piso e carros além de descarga de banheiro, poderá ser usada com este tratamento simples mais desinfecção com cloro.

Água de Chuva para aplicações mais Nobres:

Aplicações mais nobres de penderão de um tratamento mais completo com filtração em vaso pressurizado normalmente de carcaça de inox recheado com um determinado tipo de midia (meio filtrante) específica ou pode ser usado um simples filtro de cartucho.

A filtração pressurizada a partir de uma cisterna normalmente é feita com um filtro de areia com carvão ativado. A areia retira a turbidez e para retirar o excesso de cloro, sabores e odores originados de contaminantes químicos orgânicos, pesticidas, herbicidas e hidrocarbonetos clorados, se usa o carvão ativado.

Na escolha de um filtro, mais do que o formato do filtro o importante é o meio filtrante ou mídia utilizada em seu interior, em sua construção.

Existem vários tipos de midias e cada uma tem sua função no tratamento da água:

Areia filtrante/Sílica/Quatzo: Os filtros de areia são usados para remover sedimentos e sólidos em suspensão, A sua utilização requer a substituição ocasional de retrolavagem freqüentes.

Carvão ativado: é fabricado a partir de cascas de cocos em processos de alta pressão e temperatura; é usada para remoção de cloro, cor, sabor e odores estranhos à água e outros produtos químicos.Também devem ser retro-lavados, invertendo os fluxos de água limpa em direção oposta ao fluxo normal de filtração para remover as impurezas e sólidos. Deve ser substituido completamente uma vez que foi saturado.

Antracito: é um tipo de carvão mineral usado para filtração de sedimentos e partículas além de remover ferro e manganês. Por ter características base carbono também remove gostos e odores estranhos a exemplo do carvão ativado.

Argilas Naturais e Ativadas : para remoção de ferro e manganês com forma granular, de verde a castanho escuro, com poder de troca iônica, removem turbidez, cor, amônia, carga orgânica, removem parcialmente a dureza e absorvem odores e gostos estranhos.

Filtros de Cartucho: feitos de polipropileno ou outro material plastico ou natural, não precisam de retrolavagem, mas são trocados a cada 3-4 meses. Com grande capacidade de retenção de particulas responsaveis pela turbidez. Contra bacterias e virus infelizmente será necessário o uso de cloração, ozonização ou radiação ultravioleta para seu controle e preveção. Despois deste passo se obtém água potável de excelente qualidade.

Desinfecção

Independente do uso da água é necessário se proceder sempre a uma desinfecção tanto para manter um residual de cloro como para habilita-la ao contato humano e animal. Diversas doenças são transmitidas pela água: a Cólera, a Gastro-Enterite, a Hepatite, a Desinteria Bacilar, a Poliomielite, Febre Tifoide e a Paratifoide.

A desinfecção é necessaria logo após a pré filtração diretamente no tanque e especialmente se forem consumidos por seres humanos ou animais. Se a aplicação/uso da água de chuva fôr para irrigação e outros usos que não envolvam o contato humano, a desinfecção pode não ser necessária.

Principais agentes de desinfecção são o Cloro, o Ozônio e a radiação Ultravioleta:

O Cloro pode ser granulado, em pastilhas ou líquido. As pastilhas podem ser de dissolução rápida ou lenta. O cloro tem a propriedade de permanece por um longo tempo na água ou efeito residual. No tratamento de agua de cisternas, é o processo mais comum. O tempo de contato do cloro com a água, que deve ser de, no mínimo, 30 minutos e sua dosagem de 2 ppm para manter um residual de 0,5 mg de cloro por litro de água. Para consumo humano a turbidez da água deverá ser de no máximo 1 UNT (unidades de turbidez), a alcalinidade da água entre 80/100 ppm e o Ph entre 7,4/7,8 para o cloro funcionar a contento.

2) O ozônio (O3) é um excelente desinfetante e também ajuda a eliminar ou reduzir certos metais pesados e produtos químicos. Consome energia para produzir-se e não permanece muito tempo na água o que exige a aplicação contínua no caso de você deseja armazenar água por longos períodos de tempo.

3) Radiação UV (Ultra-Violeta): amplamente utilizada na área de purificação de água, tem a desvantagem de exigir energia elétrica permanente e necessita substituição e manutenção e limpeza da lampada a cada ano de uso.

Cloro e Cloradores:

Cloradores de pastilhas: os cloradores mais simples são flutuantes podendo ser usados em piscinas em cisternas e caixas de água. Os cloradores de passagem, outro tipo de clorador de pastilhas, usa pastilhas de baixa solubilidade; As bombas dosadoras são cloradores de formulações liquidas e injetam o cloro de acordo com a vazão da agua na tubulação. As pastilhas de dissolução rápida usando efervecencia também podem ser usados para desinfecção de superfícies, utensílios de cozinha indústria alimentos e agua potável. Por ser efervescente, possui dosagens precisas de sanificantes com a possibilidade de oferecer dosagens controladas pelo tamanho da pastilha: 1, 2, 5, 10, 20.. Dissolve-se rapidamente sem deixar resíduos, Com embalagens práticas e de fácil utilização pode ser levado para campings, pescarias, casa de campo, parque de obras, etc.. O cloro granulado é mais usado em piscinas.

 

Cloro Líquido

Cloro Líquido: o cloro líquido é o tipo mais usado na indútria e normalmente aplicado com bombas dosadoras como no esquema abaixo. As bombas dosadoras para aplicação de hipoclorito de sódio a 10-12% de cloro devem ser resistentes à o ataque oxidante do cloro. A dosagem de piscina no minimo de 0,5 ppm e água potável mínimo de 0,2 ppm.