Síntese Natural | Telefones: +55 (011) 5562.1669 / 5072.5452 / 5565.3254 |snatural@snatural.com.br
Desinfecção de Água e Efluentes 2017-10-10T12:31:08+00:00

Desinfecção de Água Potável e de Efluentes por Radiação Ultravioleta (UVC)

Equipamento e Capacidade de Tratamento de Água

Os equipamentos da linha Snatural Inox e a Snatural Termo, de baixo custo, atendem os padrões de qualidade internacional e dosagem. Estão voltados para tratamento de água potável domiciliar, piscinas, indústria alimentícia e de bebidas, desinfecção de efluentes e esgotos, etc..

Para grandes vazões a SNatural fabrica unidades de ultravioleta – UV especiais em canaleta de concreto ou aço Inox.

Os Equipamentos Ultravioleta da SNatural estão projetados para uma radiação de 30 J/cm2. A SNatural/Naturaltec tem equipamentos em Inox 304, 316 e Termoplástico.

Instalações Desinfecção Ultravioleta

Onde as pessoas se juntam existe sempre o risco de contaminações tanto na água como no ar. A radiação ultravioleta substitui o cloro, o ozônio e outros oxidantes na desinfecção da água e do ar. A radiação UV usada para desinfecção é gerada por lâmpadas que quando penetra no corpo dos microorganismos altera seu código genético e impossibilita a sua reprodução.

A radiação ultravioleta (UV) é formada por faixas de radiação específicas, com comprimentos de onda entre 100 e 400 nanômetros a UV-A, ou “luz negra”, é responsável pelo efeito de bronzeamento da pele. Não é prejudicial e é usada no tratamento médico de certas doenças da pele. A faixa UV-B da radiação UV da luz solar é perigosa por causar cancer, mas é absorvida pela camada de ozônio na atmosfera. A UV-C ou faixa UV germicida causa avermelhamento da pele e irritação nos olhos transitória, mas não causa câncer de pele. A radiação UV não altera as características físico-químicas da água.

O alvo principal da desinfecção por luz ultravioleta UVC é o material genético, também chamado ácido nucléico. Os micróbios são destruídos quando a luz penetra a célula e é absorvida pelo ácido nucléico. Esta absorção provoca um rearranjo da informação genética que interfere com a capacidade de reprodução da célula. Os microorganismos são inativados pela luz UV resultado de um dano fotoquímico ao ácido nucléico

A radiação que atinge os microrganismos é afetada pela turbidez da água, pela temperatura e pelos depósitos de materiais que se acumulam sobre a lâmpada. A Amônia, Nitratos e Nitritos, além da DBO, não afetam a radiação e sua penetração na água, mas o ferro e ácidos húmicos absorvem a radiação; os sólidos em suspensão podem abrigar os organismos da radiação.

O sistema de esterilização por ultravioleta (UV) tem sido utilizado com segurança em hospitais, clínicas, laboratórios e indústrias alimentícias, farmacêuticas, cosméticas, de laticínios e outras, há mais de cinqüenta anos.

Na desinfecção ocorre uma redução na concentração de patógenos para níveis não infecciosos. A dosagem de UV recomendada varia de acordo com o organismo e a legislação em cada país. Em geral, para água potável e efluentes usam dosagens de 30 a 100 mW-seg/cm2, respectivamente.

O processo UV é eficiente para inativar bactérias, vírus, esporos e cistos; a dosagem de 20-30 mW.s/cm2 são suficientes para controle de vírus; 30-40 mW.s/cm2 para controle de bactérias (coliformes fecais por ex.) e 40-60 mW.s/cm2 para controle de protozoários.

Principais doenças por água contaminada

A radiação Ultravioleta – UVC substitui o cloro, o ozônio e outros oxidantes na desinfecção da água.

O UV é um processo físico; não adiciona produtos químicos ao meio; não há efeito residual capaz de prejudicar humanos, meio ambiente ou vida aquática; não altera o pH ou qualquer propriedade físico-química da água; preserva o gosto da água; preserva os sais minerais próprios da água; os organismos não criam resistência; e tem ação rápida: 0,5 -5,0 seg contra 20 – 40 minutos no caso do cloro e/ou ozônio.

A claridade visual de uma água não é um bom indicador de sua transmissão; uma água clara para luz visível pode absorver a luz ultravioleta. A melhor forma de medir a transmissão de luz ultravioleta na água é amostrar comum fotômetro que mede a transmissão do comprimento de onda 254 nm.

Microrganismos controlados pela Radiação Ultravioleta (UV)

Radiação, Tempo de Exposição e Controle

A radiação ultravioleta é usada para desinfecção de água potável, de efluentes tratados, águas de torre de resfriamento, aquicultura, aquários, lagos, água engarrafada, água de piscinas, desinfecção de caldo e açúcar liquido, desinfecção de ar e superfícies e ar condicionados. A intensidade de radiação medida em watts.seg/cm2 ou Joules/cm2 (J/cm2) relaciona intensidade da lâmpada de ultravioleta com tempo de exposição: pelo gráfico podemos concluir que já com dosagens de 8 a 10 j/cm2 a sobrevivência dos microorganismos, no caso a Eschirichia coli cai a 1/1000 000.

Aplicações da Radiação Ultravioleta (UV)

O sistema de esterilização por ultravioleta (UV) tem sido utilizado com segurança em hospitais, clínicas, laboratórios e indústrias alimentícias, farmacêuticas, cosméticas, de laticínios e outras, há mais de cinquenta anos.

Efluentes: com a tecnologia UV em efluentes nada é acrescentado à água, quando o efluente é despejado após o tratamento e à desinfecção, a água estará de acordo com os limites de microrganismos e sem subprodutos nocivos ao meio ambiente.

Processos de oxidação avançada para efluentes: Redução de COT – Carbono Orgânico Total em processos de oxidação avançada, utilizando-se o peróxido do hidrogênio, ozônio e dióxido de titânio. Com estes processos, se oxidam efluentes de indústrias químicas, farmacêuticas ou cosméticas com a produção do radical OH+, que quebra cadeias complexas de efluentes, transformando-as em subprodutos inócuos como o monóxido de carbono (CO²).

Ultravioleta + Ozônio: O sistema/equipamento de Ultravioleta pode ser usado para gerar Ozônio e radiação UV ao mesmo tempo o que amplia a ação de desinfecção: água. Este sistema é muito usado na desinfecção de água potável; água de resfriamento; desinfecção de efluentes de indústrias desinfecção de água de processo; redução de odor, NOx e cor, processos de branqueamento; água mineral tratamento de lixívia, chorume; oxidação de gases mineralização de compostos orgânicos dissolvidos eliminação de AOx; redução de trialometanos (THM’s) remoção de ferro solúvel e manganês por oxidação.