Síntese Natural | Telefones: +55 (011) 5562.1669 / 5072.5452 / 5565.3254 |snatural@snatural.com.br
Estação Elevatória 2017-10-10T12:38:28+00:00

Estações Elevatórias – Tratamento de Esgotos e Efluentes

As ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS aumentam a pressão do liquido em sistemas de captação ou distribuição de água como as ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUA e EFLUENTES. A ESTAÇÃO ELEVATÓRIA eleva o líquido e o prepara para entrar no sistema de tratamento. A ELEVATÓRIA eleva o liquido abaixo da cota da rede principal e permite ultrapassar dificuldades de topografia ligando os coletores de várias alturas manométricas a um colector central.

As ELEVATÓRIAS são compostas por:

– Câmara de entrada com gradagem e peneira, válvulas e by-pass;

– Câmara de bombeamento com grupos elevatórios em reserva ativa;

– Caixa de válvulas com seccionadores, válvulas anti-retôrno e extravasor;

– Quadro eléctrico de comando com controle de alarme.

 

O projeto de uma ELEVATÓRIA é determinado por fatores como:

– As ELEVATÓRIAS podem gerar odores por gás sulfídrico (H2S) e, por isso, o tempo de detenção hidráulica (TDH) deve ser pequeno, de 10 a 30 minutos;

– Devem ter duplo jogo de bombas para o caso de falha mecânica;

– A capacidade de bombeamento da ESTAÇÃO ELEVATÓRIA deve ser igual à vazão máxima de água produzida;

– O efluente deve estar filtrado e peneirado antes de ser elevado para evitar problemas de funcionamento nos equipamentos subsequentes;

– A elevatória depende do efluente: características físico-químicas, presença de sedimentos, etc..;

– Depende da altura da chegada do efluente em relação ao nível do solo (h);

– Depende da necessidade de elevação da agua (H);

– Da distância entre a estação elevatória e o ponto de armazenamento (D);

– Dos tubos e conexões usadas;

– Das vazões máximas e mínimas;

– Do nível do lençol freático e da altura da tubulação do efluente em relação ao nível do solo.

 

 

Materiais Anticorrosivos

As ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS SNatural são produzidas com materiais anticorrosivos. Esta seleção de materiais e concepção única tornam as unidades incrivelmente simples e confiáveis.

O tanque da ELEVATÓRIA é feito de cloreto de polivinila (PVC) reforçado com fibra de vidro mais resina ortoftálica ou isoftálica ou ainda de polietileno de alta densidade (PEAD) ambos de elevada resistência a ataques químicos e impacto.

As ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS estão disponíveis em várias dimensões e capacidades de elevação de água. A altura do poço é escolhida de acordo com o cálculo da estação elevatória, e pode situar-se entre 2 e 6 metros de profundidade com diâmetros usuais de 500, 600 e 700 mm.

A ELEVATÓRIA inclui sistema de bombas, tubulação e válvulas, quadros eléctricos de proteção e comando, estando pronta para funcionar.

Podem ser colocadas em solo seco, por baixo da estrada ou do pavimento, ou num solo com águas subterrâneas, respeitando as devidas medidas de precaução.

Robustas e Confiáveis

Os poços/tanques são produzidos em PVC reforçado com fibra de vidro ou em PEAD, dependendo do tamanho da Elevatória.

Flexibilidade e Qualidade nos Detalhes

As ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS pré-fabricadas da SNatural oferecem liberdade e flexibilidade de instalação com o mínimo de trabalhos adicionais. Disponíveis em diferentes alturas e diferentes capacidades de bombeamento, são calculadas de acordo com a necessidade da Estação Elevatória em cada caso.

As interligações entre tubulação existente e a da Estação Elevatória são feitas com adaptadores especiais de EPDM com abraçadeiras de inox para maior resistência aos líquidos e ajustes entre os tubos, capazes também de absorver choques e vibrações.

As estações podem ser fornecidas com uma tampa normal, mas podem-se estudar outros tipos de tampas capazes de suportar maiores cargas, inclusive tráfego intenso.

Os sistemas de controle, monitoramento e automação são projetados para simplicidade de uso e baixa manutenção ou de acordo com as especificações do cliente.

Componentes da Elevatória

1. Coleta de Sólidos – A Elevatória é equipada com sacos de filtração que retiram do sistema a areia, resíduos sólidos acima de 1 mm e fibras que possam prejudicar o tratamento posterior. Os sacos devem ser trocados e descartados periodicamente . Este sistema inclui: anel de abertura do saco, cabo para elevação do saco, sistema de fixação do cabo, conexões de entrada em EPDM ajustáveis para tubulação de 3 ou 4 polegadas e tampa na forma de disco com abas de encaixe.

2. Poço: O poço é feito de PVC reforçado com fibra de vidro ou em PEAD e inclui as bombas, tubulação, válvulas, quadros elétricos de proteção, comando, entre outros. O poço tem profundidades variáveis de acordo com a necessidade do nível de chegada do esgoto, normalmente entre 50 e 80 cm.

3. Bombeamento: As bombas utilizadas nas Elevatórias podem ser de superfície ou submersíveis, dependendo da vazão necessária e altura manométrica.

4. Outros Componentes:

• Tubulação de 2 e 3 pol;
• Conexões diversas;
• 2 válvulas de retenção de 2 pol;
• 2 válvulas borboleta de 2 pol;
• Tubulação e entrada de 2 pol x 3 ou 4 pol;
• Tubulação de saída de 2 pol ou de 2 x 3 pol com conexões em borracha EPDM;
• 1 válvula de nível para alarme de enchimento acima do nível de segurança;
• Ventilação (Opcional);
• Previsão de tampa especial para suporte de tráfego intenso (Opcional);
• Uso: Esgoto doméstico bruto; e outros líquidos para períodos de 24h ou outra programação;
• Considera dimensionamento no pico de vazão e desnível considerando entrada da caixa;
• Bombas (02 unidades) submersa em aço inox ou ferro fundido;
• Painel elétrico, inclusive comando automático de acionamento das bombas;
• Corrente galvanizada para retirada das bombas;
• Bóias de nível.

Tratamento Preliminar:

Abaixo, uma ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE EFLUENTES (ETE) para reuso, com uma Estação Elevatória (tanque azul enterrado), Tanque de Equalização (cinza), Reator Biológico Aerado (verde), e Tanques de Cloração e Aeração.

Observe-se o operador retirando os resíduos sólidos do TRATAMENTO PRELIMINAR, neste caso, externo à ELEVATÓRIA.