Síntese Natural | Telefones: +55 (011) 5562.1669 / 5072.5452 / 5565.3254 |snatural@snatural.com.br
Venturis 2017-10-11T14:44:27+00:00

Aeração de efluentes com Injeção de Ar

O ar é composto Nitrogênio e Oxigênio, somando 99%, traços de gases diversos e partículas. A solubilidade do oxigênio na água depende da temperatura e da composição da água: a 0°C a água absorve o dobro de Oxigênio do que se estiver a 30° C.

A transferência de oxigênio para a água se dá pelo processo de difusão que depende da quantidade de oxigênio já presente na água. Quanto menor a concentração de oxigeno na água maior a rapidez de difusão. Ao mesmo tempo, quanto maior a deficiência de oxigênio, maior a necessidade de injeção de ar. Define-se deficiência de oxigênio como a quantidade (mg/litro) necessária para atingir a saturação a uma dada temperatura. Todos os processos de purificação de água poluída que dependem de oxigênio gastam energia para transferência à água, portanto, é importante conhecer os fatores que determinam esta capacidade de absorção de oxigênio – ar ao meio líquido.

Importância da Temperatura na Dissolução do Oxigênio na Água

Para se atingir a saturação de oxigênio de uma água servida, efluente ou esgoto, a quantidade de oxigênio necessária cresce em função da temperatura desta água. É preciso colocar mais oxigênio para atingir os pontos de saturação com o aumento da temperatura.

Pode-se considerar que a água de uma queda ou cachoeira está perto do limite de saturação, ou da capacidade da água em absorver oxigênio.

Em piscicultura o nível adequado de oxigênio, dependendo da espécie de peixe, é de 5 ppm (mg/litro). No tratamento de água residuária, efluentes e esgotos se introduz 2 ppm de Oxigênio (O2) para viabilizar o desenvolvimento dos microrganismos. Se o teor de O2 cair abaixo de 0,5 ppm os organismos anaeróbios produzirão odor.

A profundidade a que é colocado o injetor ou Venturi, determina a quantidade de oxigênio (Gr O2/Nm3 ar) que se consegue colocar num corpo de água. A 2 m de profundidade é de 20 gr O2 / m3 de ar, a 3 m é de 17 gr, a 4 m é 23 gr e a 5 m de 28 gr (dados para Água Pura a 15°C).

O bico injetor trabalha com várias pressões dependendo da bomba utilizada, mas dentro de uma pressão usual de 7 a 10 metros de coluna de água (m.c.a.) a capacidade de transferência de oxigênio na água é de 0,5 a 4,0 mg O2/m3 ar/kWh.

Características:

  • Simplicidade de instalação mesmo em tanques cheios;
  • Ideal para mistura combinada com aeração de água residuais com esgoto, efluentes industriais, slurries, etc.;
  • Não tem necessidade de compressor de ar (auto aspiração);
  • Uso em tanque de equalização para misturar o efluente ajudando a controlar o odor e anaerobiose;
  • Ideal para limpeza de fundo de tanques com água de chuva;
  • Pode suprir, numa situação de emergência o oxigênio necessário para funcionamento ou sobrecarga de qualquer sistema de tratamento de água e efluente;
  • Sem barulho comparado com equipamentos de superfície;
  • Sem produção de aerossóis;
  • Pode ser usado em tanques com nível de água variável;
  • Usa bombas hidráulicas comuns.

**Ar produzido pelo injetor em função
da profundidade do tanque (Localização do bico injetor).

 

O sistema de aeração com bico injetor de ar pode ser distribuído para vários tanques de aeração ou tratamento de água ou criação de animais utilizando bombas de água comuns de baixo custo e manutenção. O sistema pode ser implantado apenas com a aquisição de mangueiras e bico injetor de alto rendimento.