Síntese Natural | Telefones: +55 (011) 5562.1669 / 5072.5452 / 5565.3254 |snatural@snatural.com.br
Filtração e Desinfecção 2017-10-10T13:06:49+00:00

Água – Filtração e Desinfecção

Uma das principais reclamações de usuários de sistema de captação e armazenamento de água é em relação à manutenção e qualidade durante o armazenamento; presença de algas e apodrecimento da água nos reservatórios podem inviabilizá-la para consumo rapidamente. Para evitar estes problemas e ter uma água potavel armazenada por longos períodos, pronta para uso, podem se instalar filtros e sistemas de desinfecção simples que previnam a entrada e o desenvolvimento de microorganismos.

Os filtros são usados para remover pequenas partículas, sólidos dissolvidos e produtos químicos ou metais pesados prejudiciais. A filtração em si pode ser considerada um polimento ao tratamento de separação de sólidos inicial de gradeação e decantação primária. Um filtro pressurizado ou por gravidade de areia ou areia/carvão ativado, melhora sensivelmente a turbidez e gostos estranhos da água e se a água está sendo usada para uso potável deve-se eliminar também a cor, odor e sabores estranhos da água, além da presença de sais, minerais e metais pesados.

Modelos de Filtros: A filtração pressurizada quando necessária pode lançar mão de filtros de Cartucho, filtros de Inox, Fibra de Vidro ou Aço Carbono.

A SNatural pode fornecer qualquer tipo de filtro necessário para seu projeto!

Na escolha de um filtro, mais do que o formato do filtro o importante é o meio filtrante ou mídia utilizada em seu interior, em sua construção. Existem vários tipos de midias e cada uma tem sua função no tratamento da água:

Areia filtrante/Sílica/Quatzo: Os filtros de areia são usados para remover uma variedade de sedimentos e sólidos em suspensão com tamanho entre 20 -100 mícra. A sua utilização requer a substituição ocasional da mídia de retrolavagem freqüentes. A areia é lavada, seca e selecionada por granulometria entre 0,6 e 1,2 mm. A densidade varia com a granulometria, em geral considera-se 1,45 kg/litro.

Carvão ativado: é fabricado a partir de cascas de cocos em processos de alta pressão e temperatura; de granulometria entre 2 e 3 mm é usada para remoção de cloro, cor, sabor e odores estranhos à água e outros produtos químicos. O carvão ativado funciona por adsorção química, mas também fisicamente permitindo uma agua de boa qualidade livre de boa parte de particulados. Sua densidade é considerada em 0,5 kg/litro. Existe na forma granulada, pó ou em blocos. Devem ser retro-lavados, invertendo os fluxos de água limpa em direção oposta ao fluxo normal de filtração para remover as impurezas e sólidos. Deve ser substituido completamente uma vez que foi saturado.

Antracito: é um tipo de carvão mineral com granulometria entre 0,8 e 1,1 mm, usa-se para filtração de sedimentos e partículas além de remover ferro e manganês. Por ter características base carbono também remove gostos e odores estranhos a exemplo do carvão ativado. Densidade: aproximadamente 1 kg/litro

Argilas Naturais e Ativadas : Meios filtrantes naturais e catalíticos para remoção de ferro e manganês com forma granular, de verde a castanho escuro, granulometria variando de 1 a 4 mm de acordo com a necessidade. Derivados de argilas com poder de troca iônica, removem turbidez, cor, acomodam o pH, retiram a amônia, a carga orgânica (DBO/DQO), removem parcialmente a dureza e absorvem odores e gostos estranhos. Dependendo da granulometria remove partículas ate 5 micra. Densidade igual a 1, 0 kg/litro.

Filtros de Cartucho: feitos de polipropileno ou outro material plastico ou natural podem ser usados a um custo menor, não precisam de retrolavagem, mas precisam ser trocados a cada 3-4 meses. Os cartuchos têm micragem de 20, 10, 5 e ate 1 micra com grande capacidade de retenção de particulas responsaveis pela turbidez. Uma das possibilidades que este tipo de filtro oferece é deter paulatinamente as impurezas fazendo-se passar a água por um primeiro filtro polidor 20 micras, depois um segundo de 10 micras, depois um de 5 micras e ainda se necessário um último cartucho de 1 micra. (Indicado no quadro abaixo.)

Contra bacterias e vírus será necessário o uso de cloração, ozonização ou radiação ultravioleta para seu controle e prevenção. Despois deste passo se obtém água potável de excelente qualidade.

A filtração pressurizada a partir de uma cisterna clorada, ou não, normalmente se faz passando a água por um filtro de areia mais carvão (filtro misto) para melhorar a turbidez representada por partículas em suspensão e para retirar o gosto do cloro o carvão ativado. Se a água tem sabores e odores originados de contaminantes químicos orgânicos normalmente caracterizados como perigosos (pesticidas, herbicidas, metilato de mercurio e hidrocarbonetos clorados) a água deve passar por um filtro de carvão ativado obrigatoriamente e para metais pesados deve receber outro tipo de tratamento complementar.

Desinfecção

Independente do uso da água é necessário se proceder sempre a uma desinfecção da água mantendo um residual de cloro para assegurar a qualidade da água por longos períodos e habilitando-a ao contato humano e animal. Há uma série de doenças transmissíveis pela água. A desinfecção para eliminação de microorganismos vivos patogênicos como algas, fungos, parasitas, bactérias e vírus e é necessaria especialmente se for consumida por seres humanos ou animais.

Se a aplicação/uso da água de chuva for para irrigação e outros usos que não envolvam o contato humano, a desinfecção pode não ser necessária.

 

Doenças Transmitidas pela Água

1) Cólera (Víbrio cholerae): Afeta apenas os seres humanos e sua transmissão vem diretamente dos dejetos fecais de doentes. A contaminação é por ingestão, principalmente de água contaminada. Causa diarréia, vômitos, rápida desidratação, acidose, câimbras musculares e colapso respiratório.

2) Amebíase (Entamoeba histolytica): Esta ameba se alimenta do bolo alimentar e sua presença causa disenteria aguda, febre, calafrios e diarréia sanguinolenta.

3) Gastro-Enterite (Rota Vírus): Vírus que causa diarréia, vômitos, levando a desidratação grave.

4) Hepatite (Vírus de Hepatite A): Vírus que ataca o fígado causando febre, mal-estar geral, falta de apetite e icterícia.

5) Disenteria Bacilar (Bactéria Shigella): Fezes com sangue e pus seguido de vômitos e cólicas.

6) Poliomielite (Enterovirus poliovirus): Comum em crianças (“paralisia infantil”); através de contato fecal/oral derivado de condições sanitárias inadequadas; contaminação fecal de água e alimentos.

7) Febre Tifóide: (Salmonella typhi): Doença contagiosa causada por bactéria; causa febre intermitente, mal-estar, manchas rosas pelo tronco, tosse e prisão de ventre.

8) Febre Paratifóide (Salmonella paratyphi): Transmite-se pelas fezes, mãos contaminadas, roupas, alimentos e água. Sintomas comuns são: dor de cabeça, mal-estar, fadiga, boca amarga, febre, calafrios, indisposição gástrica, diarréia e aumento do baço.

Principais agentes de desinfecção são o Cloro, o Ozônio e a Radiação Ultravioleta:

1) O Cloro pode ser granulado, em pastilhas ou líquido. As pastilhas podem ser de dissolução rápida ou lenta. O cloro tem a propriedade de permanecer por um longo tempo na água por seu efeito residual sendo usado no tratamento de agua de cisternas comumente. O tempo de contato do cloro com a água, que deve ser de, no mínimo, 30 minutos e sua dosagem de 2 ppm para manter um residual de 0,5 mg de cloro por litro de água. Para consumo humano a turbidez da água deverá ser de no máximo 1 UNT (unidades de turbidez), a alcalinidade da água entre 80/100 ppm e o Ph entre 7,4/7,8 para o cloro funcionar a contento.

2) O ozônio (O3) é um excelente desinfetante e também ajuda a eliminar ou reduzir certos metais pesados e produtos químicos. Consome energia para produzir-se e não permanece muito tempo na água o que exige a aplicação contínua no caso de se desejar armazenar água por longos períodos de tempo.

3) Radiação UV (Ultra-Violeta): amplamente utilizada na área de purificação de água, tem a única desvantagem de exigir energia elétrica permanente e também é um sistema que não apresenta efeito residual. Por outro lado não acrescenta nada à agua em termos de residuos. A água simplesmente passa por um sistema de radiação que não fica na agua. A desinfecção de dá por passagem continua da água.

A Snatural oferece e produz diversos equipamentos de Ultravioleta e Ozônio.

Principais Agentes de Desinfecção

Cloro e Cloradores:

Há vários tipos de cloradores: cloradores de cloro em pastilha e de cloro líquido: os cloradores de pastilhas podem ser flutuantes, cloradores mais simples e usados em piscinas, cisternas e caixas de água. Os cloradores de passagem, outro tipo de clorador de pastilhas, usa pastilhas de baixa solubilidade. Por último, para cloro líquido, usam-se as bombas dosadoras, cloradores de formulações liquidas e que injetam o cloro de acordo com a vazão da agua na tubulação. Existem tambem pastilhas de dissolução instantânea usando efervecencia na água clorando-a. Esta água também pode ser usada para desinfecção de superfícies, utensílios de cozinha, indústria de alimentos e água potável. Por ser efervescente, e por apresentar tamanho de pastilhas de 1, 2, 5, 10, 20 gramas, pode oferecer dosagens, suas embalagens práticas e possibilidade de armazenamento por longos períodos pode ser indicado para uso em campings, pescarias, casa de campo, parque de obras, etc..A validade destas pastilhas é de 01 ano ou mais se mantidas as condições de armazenamento, sem umidade. Existe também o cloro granulado usado principalmente em piscinas.

Pressão máxima de operação: 2,25Kgf/cm² ou 32psi; Dissolução máxima de cloro estabilizado: 36g/h. Capacidade máxima de tratamento 300m³ ou 300.000l. – Capacidade de carga: 2,0kg de cloro estabilizado em tabletes. Obs.: Mantenha a alcalinidade da água entre 80/100 ppm e o Ph entre 7,4/7,8. A união para instalação hidráulica não acompanha o produto.

Modo de Usar: Dissolva 01 tablete de 01 gr de cloro efervescente em um recipiente contendo aproximadamente 10 litros de água e aguarde 20 minutos antes de utilizar para o consumo. Como orientações importante: Conserve a embalagem em local fresco e seco; Mantenha fora do alcance de crianças e animais domésticos; Não misture com outros produtos; Mantenha o produto em sua embalagem original. Depois De Utilizar Este Produto Lave E Seque As Mãos. Atenção: Não Ingerir O Comprimido. Para testar a dosagem ideal de cloro entre 0,5 e 2 ppm (mg/l) use uma fita de teste comum para piscinas. – Mantenha a alcalinidade da água entre 80/100 ppm e o Ph entre 7,4/7,8.

Bombas dosadoras para Cloro Líquido

Cloro Líquido: o cloro líquido é o tipo mais usado na indútria e normalmente aplicado com bombas dosadoras como no esquema abaixo. As bombas dosadoras para aplicação de hipoclorito de sódio a 10-12% de cloro devem ser resistentes ao ataque oxidante do cloro. A dosagem de piscina no mínimo de 0,5 ppm e água potável mínimo de 0,2 ppm.

As bombas dosadoras para aplicação de hipoclorito de sódio a 10-12% de cloro devem ser resistentes à o ataque oxidante do cloro e normalmente fabricadas em Viton, plastico de conhecida resistencia.

A dosagem de piscina no minimo de 0,5 ppm e agua potavel minimo de 0,2 ppm; apos dosgem aguadar 30 a 40 minutos para o cloro fazer o efeito.

A dosadora é utilizada em dosagens contínuas de soluções químicas. A dosagem é controlada através de pulso/minuto. Vazão de 0,12 – 1,0 l/h; 0,24 – 2,0 l/h; 0,48 – 4,0 l/h; 0,72 – 6,0 l/h; 1,44 – 12,0 l/h; 5,0 – 20,0 l/h e 5 – 30,0 l/h, com pressão de serviço de até 40 mca. Materiais de fabricação: Válvulas PP / PVC (Vedantes/o´rings EPDM / Viton); Diafragma Teflon (Cabeçote PP / PVC) – Mantenha a alcalinidade da água entre 80/100 ppm e o Ph entre 7,4/7,8.

Uma água de chuva teoricamente uma água destilada pode vir com muitos poluentes da atmosfera e portanto também deve ser desinfectada ( Água de Chuva – Aplicações Básicas e Tratamentos).